quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Implantados 6,7 km de ciclovias nas regiões Leste e Norte da cidade

A partir da entrega de três novos trechos de ciclovia no dia 18/10, a cidade passa a contar com 477,7 km de vias destinadas aos ciclistas. As ciclovias estão localizadas nas ruas Abel Tavares e Reverendo José de Azevedo Guerra, na Zona Leste, e na Avenida Manuel Antonio Gonçalves, na Zona Norte.

Do total da infraestrutura cicloviária existente na cidade, foram inaugurados 379,4 km desde junho de 2014. Antes, São Paulo possuía 68 km de ciclovias e 30,3 km de ciclorrotas.

Novos trajetos

Ciclovia da Rua Abel Tavares, entre a Rua Reverendo Amaro Guerra e a Avenida São Miguel – atende aos bairros de Ermelino Matarazzo, Jardim Belém e Vila Jacuí. O percurso é intercalado por trechos unidirecionais e bidirecionais, possibilitando a conexão com as ciclovias Reverendo José de Azevedo Guerra e Assis Ribeiro, e no futuro com a Ciclovia da Avenida São Miguel.

Ciclovia Abel Tavares


Ciclovia formada pela Rua Reverendo José de Azevedo Guerra, Avenida Milene Elias e Rua Professor Antonio de Castro Lopes, entre as avenidas Assis Ribeiro e São Miguel – atende aos bairros de Ermelino Matarazzo e Vila Paranaguá. O percurso é bidirecional com trechos ao lado da calçada ou junto ao canteiro central, possibilitando a conexão com as ciclovias Abel Tavares e Assis Ribeiro e no futuro com ciclovia da Avenida São Miguel.

Ciclofaixa Paranaguá


Ciclovia das avenidas Manuel Antonio Gonçalves e do Poeta, entre as avenidas Conceição e João Simão de Castro - atende aos bairros de Vila Sabrina e Jardim Julieta. O percurso é unidirecional, ao lado da calçada, nos dois sentidos da Avenida Manuel Antonio Gonçalves e unidirecional, junto ao canteiro central na Avenida do Poeta, possibilitando a conexão com as ciclovias Cerejeiras, Poeta e Praça Luísa de Marilac.

Ciclofaixa Manuel Antônio Gonçalves

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Dez dúvidas frequentes sobre a nova Zona Azul Digital

Como qualquer novidade, a Zona Azul Digital pode te deixar preocupado e com algumas dúvidas a respeito do seu funcionamento. Mas não tenha dúvida de que se trata de um avanço em todos os aspectos. Mais conforto, mais segurança e praticidade.
Veja aqui algumas perguntas comuns:

1 ) Não uso smartphone. Como faço para adquirir o Cartão Azul Digital - CAD?

Você também poderá adquirir o CAD nos pontos de venda credenciados pela CET, localizados em diversos pontos da cidade. Consulte aqui os locais já cadastrados para venda.

2) Como funciona a aquisição dos CAD nesses pontos de venda?

Nos estabelecimentos credenciados, o usuário da Zona Azul informará apenas a placa do veículo e a quantidade de CAD a ser adquirida, isto de acordo com a regulamentação das placas de sinalização. São aceitos pagamentos em dinheiro, além de cartões de crédito e débito, dependendo do local.

3)  Ao adquirir os créditos nos postos de venda, é emitido comprovante ? Devo deixá-lo visível no interior do veículo?

Todas as empresas credenciadas emitem o comprovante de ativação do CAD, porém, não é necessário deixá-lo no interior do veículo.

4) Como o agente da CET vai fiscalizar sem nenhum cartão de papel no carro? Como ele saberá que eu estou usando o Cartão Azul Digital - CAD?

Para fiscalizar os veículos estacionados em área Zona Azul, o agente de trânsito utilizará um aplicativo próprio. Ao digitar a placa do veículo, o aplicativo irá informar se o veículo está com Cartão/CAD ativo ou se o veículo não pagou a tarifa. Todas as transações receberão um número de autenticação, igual aos de transações bancárias.

5) Os agentes de trânsito farão a venda de Cartão Azul Digital - CAD?

Não, os agentes da CET não venderão o CAD aos usuários.

6) Estacionei meu veículo e fui a um ponto de venda comprar CAD, posso ser multado durante esse tempo?

A fiscalização da CET continuará sendo realizada com os mesmos critérios, a única diferença é que o Operador de Trânsito deixará de fazer a leitura do Cartão em papel e passará consultar em um banco de dados se a placa do veículo está com o CAD ativo.
O usuário que considerar que foi autuado indevidamente poderá apresentar recurso de multa à JARI – Junta Administrativa de Recursos de Infração.

7) O cartão Zona Azul de papel continuará valendo?

Os cartões em papel que ainda se encontram em poder dos usuários ou disponíveis em alguns pontos de venda, dependendo dos estoques, serão aceitos até o dia 04/12/2016. A partir dessa dada, passa a ser aceito exclusivamente o Cartão Azul Digital – CAD.
A utilização de talões ou folhas Zona Azul de papel estará sujeita à autuação após 04/12/2016.

8) Se não utilizar os talões Zona Azul de papel que possuo, até 04 de dezembro, vou perder o dinheiro que paguei nos cartões?

Não. Os cartões não utilizados poderão ser trocados por créditos no CAD no APP de 21/11 até 30/12/16. As trocas por crédito digital no APP poderão ser feitas de 2ª à 6ª feira (exceto feriados), das 08h às 17h na Rua Senador Feijó, nº 143 – 1º andar.

9) Como será feita esta troca?

Após analise de autenticidade dos talões e folhas em papel o usuário receberá um protocolo nominado como Recibo de Crédito dos dados fornecidos com a descrição da quantidade de CADs que serão transferidos.

10) Quais as vantagens da Zona Azul Digital ?

• Evita fraudes;
• Dispensa o preenchimento de cartões impresso em papel;
• Dispensa manter o comprovante de pagamento da tarifa no interior do veículo;
• Comodidade de utilizar o cartão de crédito como forma de pagamento (no caso de aplicativos e alguns postos de venda);
• Permite a consulta aos números de autenticações de todas as transações;
• Funcionalidades dos aplicativos nos smartphones:
- indicação de tempo restante de estacionamento;
- alarme indicando se é possível nova ativação ou se é necessário a retirada do veículo;
- consulta de saldo;
- extrato de aquisição e ativação do CAD;
- auxílio com mapas e buscas pelo nome da via.



Zona Azul Digital já possui diversos postos de vendas

A Zona Azul, que é sistema rotativo de uso de vagas em espaços públicos, está passando por uma importante transformação: o fim do cartão e do talão de papel.

A partir de 05 de dezembro o cartão de papel não será mais aceito e você poderá adquirir créditos através de um dos aplicativos disponíveis para smartphones ou nos pontos de venda.

Já estão credenciados diversos pontos de venda para distribuir o Cartão Azul Digital (CAD), como bancas de jornal, bares, lanchonetes, farmácias, drogarias, mercados, bazares, padarias e comércio em geral por toda a cidade.

Estes pontos de venda estão utilizando uma nova tecnologia para registrar o estacionamento de forma digital, substituindo o cartão de papel. O motorista que não tiver adquirido CAD através de um dos aplicativos autorizados poderá se dirigir a um dos pontos de venda e adquirir o Cartão Azul Digital conforme necessitar. Novos pontos de venda serão cadastrados em breve.

Para pagar a tarifa, os usuários da Zona Azul informam apenas a placa do veículo e a quantidade de CAD a ser utilizado, isto de acordo com a regulamentação do local.
O pagamento poderá ser feito com os meios aceitos pelo estabelecimento, ou seja, dinheiro, cartões de crédito e débito. O usuário recebe o comprovante de ativação do CAD para seu controle, sem que seja necessário retornar ao veículo.

As empresas Rede Ponto Certo e Serttel já estão oferecendo essa nova opção de pagamento da tarifa. Em breve, outras empresas serão credenciadas visando ampliar o serviço em todas as áreas de Zona Azul.

É importante ressaltar que a sinalização e as regras de estacionamento não sofreram qualquer alteração, assim como também continuam em vigor a folha em papel e os aplicativos para smartphones e aparelhos móveis. A nova forma de pagamento é mais uma opção para adquirir o Cartão Zona Azul.

Acesse aqui para consultar os pontos de venda.

Zona Azul Digital com novo aplicativo



A Zona Azul Digital possibilita a utilização de aplicativos de celular e equipamentos em pontos de venda para fazer o pagamento do estacionamento nas vias públicas em uma das quase 40 mil vagas rotativas existentes na cidade.

O preço da Zona Azul permanece o mesmo, de R$ 5 por período, que pode ser de 30 minutos a quatro horas – o tempo varia de acordo com a regulamentação do local, indicada pela sinalização. Também há a possibilidade de comprar um pacote de créditos com desconto: 10 cartões digitais por R$ 45. O pagamento por aplicativos pode ser feito com cartão de crédito e, no aplicativo Digipare, também no cartão de débito e boleto bancário.

Ao parar em uma vaga, o condutor informa a placa do veículo estacionado e o tempo que deseja adquirir para permanecer no local. Caso o período vença, o motorista poderá renovar o crédito à distância – os aplicativos emitem um alerta que pode ser programado pelo usuário para quando o tempo solicitado estiver expirando.

Para saber passo a passo como utilizar e mais informações sobre a Zona Azul Digital consulte: http://www.cetsp.com.br/consultas/zona-azul/zona-azul-digital/zona-azul-digital.aspx