sexta-feira, 24 de julho de 2015

Ciclovia da Ponte dos Remédios com 600 metros ativada desde terça (21)

A travessia cicloviária agora pode ser feita em sete pontes ou viadutos da cidade

Desde terça-feira, (21), a cidade passa a contar com 349,7 km de vias destinadas aos ciclistas. Foi entregue novo trecho de ciclovia com 600 metros de extensão, na Ponte dos Remédios, sobre a Marginal do Rio Tietê. A ciclovia proporcionará no futuro a conexão entre as regiões do Jaguara e da Vila Leopoldina, zonas Norte e Oeste da Cidade.

Do total da malha cicloviária existentes na cidade, foram inaugurados 253,1 km, desde junho de 2014. Antes, São Paulo possuía 64,7 km de ciclovias e 31,9 km de rotas. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha de 400 km até o final de 2015

A travessia de ciclistas em pontes e viadutos sobre as Marginais dos rios Tietê e Pinheiros vem sendo objeto de atenção especial pela SMT/CET. Em Outubro de 2014, a pasta apresentou a proposta de construção de ciclovias e ciclopassarelas para 12 das 28 pontes existentes nas Marginais.

A Travessia das marginais é parte importante para a ligação cicloviária das zonas Norte, Oeste e Sul ao Centro da cidade. A primeira ciclovia foi sobre a Ponte da Casa Verde, inaugurada em 04/11/2014. As outras pontes onde a travessia é possível são: Cruzeiro do Sul, Bandeiras, Jânio Quadros, Vila Guilherme e Viaduto Domingos Franciulli Neto.

“Essa travessia é parte importante para a ligação cicloviária das zonas Norte, Oeste e Sul ao Centro da cidade, sendo de fundamental relevância para a formação de grandes eixos de deslocamento por bicicleta”, ressalta o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

O novo percurso é unidirecional, sobre o canteiro central, no eixo da ponte, e faz a ligação entre a Rua Silva Airosa e Avenida dos Remédios. Na demarcação estão sendo usados, aproximadamente 2.200 m² de sinalização horizontal, 38 placas de trânsito indicando “Circulação exclusiva de bicicletas”, de regulamentação e de advertência, 688 unidades de gradis de proteção.

Ciclovia da Ponte dos Remédios

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Ciclovia da Avenida Fuad Lutfalla com 2,2 km ativada desde terça-feira (21)

Desde terça-feira (21), a cidade passa a contar com 351,3 km de vias destinadas aos ciclistas. A CET entrega novo trecho de ciclovia com 2,2 km de extensão, no corredor formado pelas avenidas Fuad Lutfalla e Thomas Rebelo e Silva, entre as ruas Manoel Barbosa e Manoel de Souza Azevedo, região da Freguesia do Ó, Zona Norte.

A ciclovia faz a ligação cicloviária passando pelo Jardim São José, Vila Iório e Morro Alegre. No futuro fará conexão com as ciclovias Edgar Facó e Petrônio Portela.

Do total da malha cicloviária existente na cidade, foram inaugurados 253,1 km, desde junho de 2014. Antes, São Paulo possuía 64,7 km de ciclovias e 31,9 km de rotas. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha de 400 km até o final de 2015.

“Ultrapassamos os duzentos quilômetros de ciclovias na cidade, estamos ampliando as conexões para que os ciclistas tenham mais opções de deslocamentos”, afirma o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto.

O percurso da ciclovia é unidirecional, ao lado do canteiro central, sinalizado sobre o leito carroçável e seguirá o seguinte trajeto:
  • Avenida Fuad Lutfalla, entre a Rua Manoel Barbosa e Avenida Thomas Rebelo e Silva;
  • Avenida Thomas Rebelo e Silva, entre a Avenida Fuad Lutfalla e Rua Manoel de Souza Azevedo.Ciclovia da Avenida Fuad Lutfalla
Haverá travessia rodocicloviária nos cruzamentos da Avenida Fuad Lutfalla com as ruas Manoel Barbosa, Praia do Tumiaru, Bertópolis e João Alves Pimenta, e com avenidas Brasiliza Vieira Simões e Elísio Teixeira Leite.

Novo trecho de ciclovia ativado, com 500 metros de extensão, na região da Lapa

Desde terça-feira (21), a cidade passa a contar com 351,3 km de vias destinadas aos ciclistas. Foi entregue novo trecho de ciclovia com 500 metros de extensão, nas ruas Caio Graco e do Curtume, na Vila Romana, Região da Lapa, Zona Oeste da Cidade.

A ciclovia faz conexão com a da Rua Coriolano e acesso ao Poupatempo localizado na Rua do Curtume e no futuro fará conexão com o espaço compartilhado ciclovia da Avenida Sumaré e Paulo VI.

Do total da malha cicloviária existente na cidade, foram inaugurados  253,1 km, desde junho de 2014. Antes, São Paulo possuía 64,7 km de ciclovias e 33,5 km de rotas. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha de 400 km até o final de 2015.

“Ultrapassamos os duzentos quilômetros de ciclovias na cidade, estamos ampliando as conexões para que os ciclistas tenham mais opções de deslocamentos”, afirma o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto.

O percurso da ciclovia será bidirecional, ao lado da calçada. O trajeto está sinalizado sobre o leito carroçável. Na demarcação estão sendo usados, aproximadamente 1.100 m² de sinalização horizontal; 47 placas de trânsito indicando “Circulação exclusiva de bicicletas” e de regulamentação e de advertência, 174 tachas e tachões, 24 balizadores e 10 paraciclos.

A ciclovia segue o seguinte trajeto:
  • Rua Caio Graco, entre as ruas Coriolano e Guaicurus;
  • Rua do Curtume, entre a Rua Guaicurus e Passarela da CPTM.
Ciclovia Caio Graco

Haverá travessia com semáforo para ciclistas nos cruzamentos da Rua Caio Graco com as ruas Clélia e Faustolo. A travessia na Rua Guaicurus devera será ser feita pelo ciclista desmontado.