quinta-feira, 2 de julho de 2015

Dá Licença para o Ônibus – Rua Padre José de Anchieta tem faixa exclusiva desde segunda-feira, 29/06

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a São Paulo Transporte (SPTrans) implantaram 300 metros de faixa exclusiva à direita para ônibus na Rua Padre José de Anchieta, entre a Rua Coronel Luis Barroso e Avenida João Dias, no sentido Bairro, na segunda-feira, 29/06.

A nova faixa exclusiva para o transporte público funcionará de segunda a sexta-feira das 6 às 9 horas e das 16 às 20 horas.

Faixa exclusiva para ônibus Rua Padre José de Anchieta
A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores. Com isto, busca-se a redução dos tempos de viagens com padrões de eficiência, conforto e segurança para os usuários do transporte público.

Com esta implantação, a partir de 29 de junho, a malha de faixas exclusivas chega aos 479,1 km. Do total de faixas exclusivas existentes na cidade, a atual gestão inaugurou 389,1 km. Portanto, antes, São Paulo possuía 90 km.

População beneficiada

Pelas vias, no trecho desta implantação, circulam 15 linhas de ônibus, com frequência média de 109 ônibus/hora, transportando 135 mil passageiros em média por dia útil.

Fiscalização

A ativação da nova faixa exclusiva terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir de 13/07 a fiscalização será intensificada na via.

Independente disso, a orientação é para que todos os motoristas respeitem a faixa exclusiva desde o início da implantação da mesma.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

A Engenharia de Campo da CET e da SPTrans vão acompanhar o desempenho da nova faixa exclusiva, visando melhorar as condições de trânsito e preservar a segurança viária de todos os usuários.

SMT instala Câmara Temática do Serviço de Táxi


A partir de agora, os taxistas terão um fórum permanente para tratar questões como modernização, incorporação de novas tecnologias, qualificação e fiscalização.

Debater e propor medidas capazes de aprimorar o serviço de táxi em benefício da categoria e dos paulistanos usuários dessa modalidade de transporte na cidade. Este é o propósito da Câmara Temática do setor instalada pela Secretaria Municipal de Transportes (SMT) nesta quarta-feira, 1º de julho.

A instalação da Câmara Temática do Serviço de Táxi é mais uma iniciativa no âmbito do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito ( CMTT) na busca por soluções para a mobilidade urbana e construção de uma consciência sobre a democratização do uso dos espaços viários da cidade.

Na avaliação do secretário de Transportes, Jilmar Tatto, a Câmara será muito importante porque haverá espaço para o debate de todos os assuntos de interesse dos taxistas e dos paulistanos usuários do serviço. “Aqui se discute e debate, a decisão final é do poder público, mas as reuniões ajudarão a criar uniformidade de opiniões para, aí sim, decidir o que é melhor para a cidade de São Paulo”, avaliou Tatto.

A Câmara Temática do Serviço de Táxi fará reuniões bimensais nas quais serão tratadas questões de interesse geral e, também, específicas da categoria, formada por aproximadamente 34 mil táxis homologados e 80 mil profissionais habilitados e cadastrados como ativos no DTP. Dos encontros sairão propostas de políticas públicas que irão contemplar desde a capacitação e melhor qualificação profissional dos taxistas, até formas de tornar a fiscalização sobre eventuais irregularidades e veículos não regulamentados ainda mais eficiente.

A pauta de discussões inclui ainda temas como definição de critérios para garantir a permanente modernização e renovação da frota, padronização, expansão do serviço em todas as regiões de São Paulo, atendimento a pessoas portadoras de deficiência e incorporação de novas tecnologias ao serviço. Temas como o uso de faixas e corredores exclusivos de ônibus também estarão em evidência nas reuniões.

Na reunião desta quarta-feira, Tatto afirmou que o DTP  contará com mais 100 fiscais para atuar diariamente em toda a cidade, de forma rigorosa e constante. “Esses fiscais cuidam dos táxis, de todos os ônibus da cidade de São Paulo, do fretamento, do motofrete/carga, da perua escolar privada e pública”, salientou.

Fiscalização será intensificada

O Departamento de Transportes Públicos (DTP) da Secretaria de Transportes realizou na manhã de hoje blitz na região dos Jardins e Aeroporto. Durante a ação mais dois veículos foram apreendidos no Aeroporto de Congonhas, fazendo uso do aplicativo Uber.  As operações de fiscalização são constantes para coibir o transporte irregular de passageiros por veículos clandestinos na cidade. O trabalho de fiscalização resultou  até o mês de  junho em 82.153 veículos vistoriados no ano de 2015, destes 71.921 eram da modalidade táxi. Foram apreendidos 318 veículos clandestinos, sendo 174 táxis. De agosto de 2014 até o dia 1º de Julho deste ano, foram apreendidos vinte e três veículos que faziam uso do aplicativo Uber.
Secretário ressalta que atividade do Uber é ilegal
O secretário também manifestou sua posição sobre o aplicativo Uber. Segundo ele, “ninguém pode transportar passageiros, tanto de modo individual como coletivo, se não tiver autorização do poder público. E a Uber não tem autorização do poder público, por isso, nós vamos continuar fiscalizando, fazendo as apreensões e, daqui para frente, com a ajuda da Câmara Temática. Vamos envolver a Guarda Civil Metropolitana, tentar envolver a Polícia Militar, no sentido de coibir esse tipo de ação, que é ilegal na cidade de São Paulo”, disse.

O secretário faz questão de ressalvar, no entanto, que a questão em discussão não é ser conta ou a favor de aplicativos em geral porque esses instrumentos são de fácil acesso ao usuário. Mas salientou que  é preciso lembrar que qualquer aplicativo em uso deve servir para facilitar o serviço regulamentado e não a atividade ilegal, de um serviço sem regulamentação como é o caso do Uber.

Qualificação e expansão da modalidade

O secretário de Transportes entende que todos os assuntos de interesse da categoria táxi devem ser debatidos na câmara setorial, o que inclui a hipótese de ampliar ou não o número de alvarás na cidade. Ele reafirmou que tem mantido permanente contato com os taxistas, no sentido de melhorar a qualidade dos serviços. Durante a reunião, houve considerações sobre a importância de haver táxis disponíveis depois das 18h na cidade, após eventos com grande concentração de pessoas.


Sindicatos e Pontos de Táxi estão representados

A Câmara Temática do Serviço de Táxi reúne representantes do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo (Sinditaxi), do Sindicato das Empresas e Locadoras de Táxi do Estado de São Paulo, da Associação das Rádio-Táxi de São Paulo (Artasp) e do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores das Empresas de Táxi do Estado.

No encontro de instalação, também estiveram presentes o diretor do Departamento de Transportes Públicos (DTP), Daniel Telles, 21 integrantes de entidades representativas do setor e coordenadores dos cinco maiores pontos de táxi da cidade, além dos vereadores Salomão Pereira e Adilson Amadeu, que fazem parte da Comissão de Trânsito e Transportes na Câmara Municipal de São Paulo.

Secretário Jilmar Tatto com representantes da categoria, Na reunião da Câmara Temática de Serviços de Taxi. Foto: Elisa Rodrigues/SMT

Secretário Jilmar Tatto explica os objetivos da Câmara Temática de Serviços de Taxi aos representantes da categoria. Foto: Elisa Rodrigues/SMT




terça-feira, 30 de junho de 2015

Operação Dá Licença para o Ônibus – Ruas da Mooca e João Antônio de Oliveira tem faixa exclusiva desde segunda-feira (29)

Desde segunda-feira, 29/06, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a São Paulo Transporte (SPTrans) implantam 1,2 km de faixa exclusiva à direita para ônibus nas ruas da Mooca e João Antônio de Oliveira, no sentido Centro.

A nova faixa exclusiva para o transporte público funciona de segunda a sexta-feira das 6 às 9 horas.
A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores. Com isto, busca-se a redução dos tempos de viagens com padrões de eficiência, conforto e segurança para os usuários do transporte público.

Com esta implantação, a partir de 29 de junho, a malha de faixas exclusivas chegará aos 479,1 km. Do total de faixas exclusivas existentes na cidade, a atual gestão inaugurou 389,1 km. Portanto, antes, São Paulo possuía 90 km.

População beneficiada
Pelas vias, no trecho desta implantação, circulam 11 linhas de ônibus, com frequência média de 53 ônibus/hora, transportando 91 mil passageiros em média por dia útil.

Trechos
  • Rua da Mooca, no trecho entre Rua dos Capitães Mores e Rua João Antônio de Oliveira – sentido centro;
  • Rua João Antônio de Oliveira, no trecho entre as ruas da Mooca e Javari – sentido Radial Leste.
Fiscalização

A ativação da nova faixa exclusiva terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito irão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. A partir de 13/07 a fiscalização será intensificada na via.

Independente disso, a orientação é para que todos os motoristas respeitem a faixa exclusiva desde o início da implantação da mesma.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

A Engenharia de Campo da CET e da SPTrans vão acompanhar o desempenho da nova faixa exclusiva, visando melhorar as condições de trânsito e preservar a segurança viária de todos os usuários.

Faixa exclusiva para ônibus na Rua da Mooca

Ciclistas e pedestres ocupam a Paulista para a inauguração da ciclovia

O novo equipamento, com 2,7 km de extensão, foi entregue pelo prefeito Fernando Haddad e o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto. O traçado faz parte da malha cicloviária, que alcançou 334,9 quilômetros e vem sendo ampliada na cidade.

Milhares de ciclistas vieram de todas as regiões da capital, de outros municípios e várias partes do país para acompanhar a inauguração da ciclovia em um dos mais conhecidos cartões postais de São Paulo: a Avenida Paulista. O espaço foi transformado em um grande ponto de encontro e diversão.

A atração pela nova ciclovia fez o assessor comercial, Arlindo Novaski, 62, se deslocar do bairro de Santana, na Zona Norte, para curtir a novidade. “Estou maravilhado com a beleza desta ciclovia, vou pedalar todos os finais de semana aqui”, afirmou.

Para a aposentada, Malvina da Silva, 64, que veio de Brasília, a ciclovia é nota 1000. “Não existe em nenhum lugar ciclovia mais linda do que a da Paulista, é uma beleza feita com carinho pela prefeitura”, afirmou.

O prefeito Fernando Haddad e o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, pedalaram na nova via acompanhados por muitos ciclistas. Haddad destacou que a ciclovia da Avenida Paulista é um marco para a cidade. “Entregamos aos paulistanos esta ciclovia, que é o maior símbolo da mudança de cultura que pretendemos implantar no trânsito, com convívio pacífico e qualidade de vida com a presença das bicicletas”, disse.

Para Jilmar Tatto, a ciclovia é uma conquista “de todos os cidadãos que gostam da cidade de São Paulo”, lembrando sua relevância para a malha cicloviária, “como um eixo importante de ligação às regiões Sul, Leste e Central”.

Secretário Jilmar Tatto (de vermelho) e Prefeito Fernando Haddad (de capacete) pedalando na ciclovia da Avenida Paulista.

Secretário Jilmar Tatto (de vermelho) e Prefeito Fernando Haddad (de capacete) pedalando na ciclovia da Avenida Paulista.

O eixo da ciclovia da Paulista inclui mais 800 metros do trecho da Avenida Bernardino de Campos, que está em implementação e deverá ser entregue no próximo mês. Esse trajeto completo está orçado em R$ 12,2 milhões com recursos provenientes do Fundo Especial do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, vinculado à Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente.

Ainda no domingo (28), também foi aberta a ciclovia na Rua Itápolis, com 1,7 km de extensão, como um dos principais eixos de ligação com a região Oeste da cidade.

Fechamento aos domingos

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) está estudando o fechamento da Avenida Paulista aos domingos para o uso exclusivo de pedestres, ciclistas e demais usuários da ciclovia. Tatto avalia a possibilidade como positiva. Técnicos da CET estão estudando a viabilidade da proposta.

“Seria bom fazer da Paulista, aos domingos, um grande parque, onde as pessoas pudessem passear com tranquilidade, com segurança, do ponto de vista da circulação viária, não há dificuldade nenhuma”, afirmou o secretário.

Caso, no futuro, haja o fechamento da Paulista aos domingos, seria possível montar uma operação especial para acesso aos hospitais da região. Para os moradores, poderia ser concedida autorização especial, assim como para o comércio e hotéis.

Ciclistas aguardando a inauguração da ciclovia da Avenida Paulista


Ciclistas pedalando na ciclovia da Avenida Paulista
Inauguração da ciclovia da Avenida Paulista: pedestres e ciclistas ocupam os dois sentidos da via.