sexta-feira, 19 de junho de 2015

Região da Lapa ganha ciclovia com 1,6 km neste sábado (20)

A partir deste sábado, 20/06, a cidade passa a contar com 332,1 km de vias destinadas aos ciclistas. A CET entrega novo trecho de ciclovia com 1,6 km de extensão, na Rua Coriolano, entre as ruas Claudio e Nossa Senhora da Lapa, Região da Lapa, Zona Oeste da Cidade. A ciclovia no futuro fará conexão com o espaço compartilhado ciclovia da Avenida Sumaré e Paulo VI.

Do total da malha cicloviária existente na cidade, foram implantados 233,9 km desde junho de 2014. Antes, São Paulo possuía 64,7 km de ciclovias e 33,5 km de rotas.

“Ultrapassamos os duzentos quilômetros de ciclovias na cidade, estamos ampliando as conexões para que os ciclistas tenham mais opções de deslocamentos”, afirma o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto.

O percurso da ciclovia será bidirecional, ao lado da calçada. O trajeto está sinalizado sobre o leito carroçável.


Ciclovia Rua Coriolano

Frente Segura - mais cinco bolsões de espera para motos serão implantados na Avenida dos Bandeirantes

Para melhorar a segurança de motociclistas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vem implantando uma sinalização horizontal que delimita uma área exclusiva de espera para motos. Esta iniciativa faz parte da chamada Operação Frente Segura, lançada em abril de 2013 para criar uma área de acomodação mais segura para os veículos sobre duas rodas, ao pararem para aguardar a abertura do semáforo. Com estas implantações a cidade passará a contar com 208 bolsões na cidade.

Na próxima segunda-feira (22/06) serão ativados mais cinco novos bolsões em cruzamentos da Avenida dos Bandeirantes, exclusivos para motocicletas:
  • Avenida dos Bandeirantes com Alameda dos Tupinás
  • Avenida dos Bandeirantes com Rua João Carlos Mallet
  • Avenida dos Bandeirantes com Alameda dos Tupiniquins
  • Avenida dos Bandeirantes com Alameda dos Nhambiquaras
  • Avenida dos Bandeirantes com Rua Funchal
Bolsões de espera na Avenida dos Bandeirantes

Além dos novos, foi realizada manutenção em outros dois bolsões já existentes na via:
  • Avenida dos Bandeirantes com Rua Ribeiro do Vale
  • Avenida dos Bandeirantes com Rua Manuel da Rocha Passos Filho
Além da sinalização de solo característica (pictogramas de motocicleta pintados no asfalto), a caixa de acomodação – que está situada entre a faixa de pedestres e os automóveis parados no vermelho do semáforo veicular - tem sua sinalização reforçada com placa educativa, evidenciando que ali é um espaço para a espera de motos. Serão implantados 597 m² de sinalização horizontal e 27 placas.

Atenção aos vulneráveis

Pedestres, motociclistas e ciclistas são os agentes de trânsito mais vulneráveis a acidentes quando o assunto é Segurança Viária. Em 2014, das 1.249 pessoas que perderam a vida vítimas de ocorrências fatais no sistema viário, 555 (42,4%) eram pedestres, 440 (35,2%) conduziam motocicleta e 47 (3,8%) estavam pedalando.

Os locais para implantação da Frente Segura são escolhidos, basicamente, em função do volume considerável de veículos de duas rodas que passam pelas vias e conflito veicular, incluindo-se aí o critério da Segurança Viária.

A iniciativa da Frente Segura tem como objetivos:
  • Proporcionar maior segurança para as motocicletas e ciclistas, diminuindo o conflito com autos no momento da largada no verde do semáforo;
  • Aumentar o respeito das motos à linha de retenção e à faixa de travessia;
  • Dar maior visibilidade às motos junto às travessias de pedestres;
  • Diminuir o número de acidentes envolvendo motos, ciclistas e pedestres no cruzamento.
A primeira caixa de acomodação foi implantada na extremidade do Viaduto do Chá, no cruzamento com a Rua Xavier de Toledo, no final do mês de abril de 2013. Vale lembrar que essa sinalização, que ainda é novidade no trânsito paulistano, já vem sendo usada com êxito em cidades espanholas como Barcelona e Madri. Em Barcelona, foi testada em três cruzamentos em 2009 e, posteriormente, expandida para outros locais. A autoridade de trânsito de Barcelona, onde as motos são 29% da frota de veículos, avalia que a área de espera exclusiva para motos diminuiu em 90% o risco de acidentes com motos nos cruzamentos daquela metrópole.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Secretaria Municipal de Transportes vai intensificar a fiscalização nas vias da cidade para aumentar a segurança no trânsito

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) irá ampliar a fiscalização de infrações cometidas no trânsito a partir do segundo semestre deste ano. Equipes da Companhia irão atuar em 250 pontos distribuídos de forma aleatória nas cinco regiões da cidade. A medida foi motivada pela pesquisa sobre a qualidade da segurança no trânsito de São Paulo, realizada pela Companhia. Os dados indicam que, por hora, 10 milhões de infrações de trânsito são praticadas na cidade.

A pesquisa ocorreu entre os meses de março e maio, quando foram observados 15.370 veículos e constatadas 8.521 infrações. Ou seja, mais da metade dos motoristas cometeu ao menos uma infração.

Com base nesses resultados, levantados em 20 cruzamentos das cinco regiões da cidade, estima-se que são cometidas 46,8 bilhões de infrações de trânsito por ano.

Considerando que, no ano passado, foram efetivamente aplicadas 10 milhões de multas na cidade, a pesquisa indica que apenas uma infração é fiscalizada para cada 4.416 cometidas.

Diante desse quadro, o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, avalia que a fiscalização aleatória contribuirá para aumentar a segurança no trânsito. “O motorista precisa ter a consciência de que, ao entrar no carro, deve dirigir de forma correta, respeitando as leis de trânsito”, afirmou Tatto.

Entre as infrações mais praticadas estão a falta do uso da seta e do cinto de segurança, dirigir com braço para fora, uso de celular ao volante, desrespeito à faixa de pedestre, não parar no semáforo vermelho e não respeitar a sinalização PARE.

Elisa Rodrigues/SMT

Apresentação da pesquisa "Controle da qualidade da segurança no Trânsito"

A pesquisa foi apresentada nesta quinta-feira, 18, durante a 13ª reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT) pelo especialista em Engenharia de Transporte de Pessoas, Horácio Figueira, que organizou o trabalho. “A expectativa é que ocorra um aumento de registro de infrações nos primeiros meses. Mas o objetivo não é a multa. O objetivo é fazer com que, ao tomar conhecimento da autuação, o motorista passe a respeitar mais as regras estabelecidas pelo Código de Trânsito Brasileiro”, acentuou o engenheiro.

Durante a reunião, o secretário anunciou a criação de um grupo de trabalho para viabilizar a comissão mista envolvendo conselheiros de Transportes e Trânsito e de Saúde. O objetivo é manter o foco da gestão na política de redução dos acidentes e mortes no trânsito da cidade de São Paulo. Também participou do encontro a representante da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Patrícia Rodrigues.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Faixas reversíveis de tráfego: uma solução antiga de Engenharia cada vez mais atual

No trânsito, faixa reversível é uma medida de Engenharia de Tráfego utilizada na cidade de São Paulo desde 1986. Sua concepção é simples: inverte-se o sentido de circulação de uma (ou mais) faixa(s) de rolamento para atender o sentido de maior demanda de tráfego. Geralmente, a operação é adotada em determinados períodos do dia, como nos horários de pico da manhã e da tarde. Quem vive e/ou se desloca pela capital paulista está bem acostumado com elas, as faixas reversíveis. Para automóveis, uma das mais antigas é a da Radial Leste. Agora, em consonância com a política atual de democratização do espaço urbano e prioridade ao transporte coletivo, a CET vem implementando faixas reversíveis, também, para uso exclusivo dos ônibus. Uma das mais recentes nesses moldes é a reversível para ônibus da Avenida João Dias, na Zona Sul da cidade. Lá, a novidade que começou a ser testada no início de junho já deu um ganho de 90% no tempo percorrido pelos 54 ônibus por hora que transitam pelo local.

Faixa reversível para ônibus Avenida João Dias


Segundo medições recentes feitas pela própria CET, a velocidade média dos ônibus que se valem da nova reversível saltou de 8 km/h (antes) para 55 km/h (agora), com ganho de 85% no ritmo de deslocamento. A operação também gera benefícios ao trânsito local, onde os coletivos com destino à Estrada de Itapecerica, Avenida Giovanni Gronchi (Sentido Centro-Bairro) e às ruas Centro Africana e Bento Branco de Andrade Filho (Sentido Bairro-Centro) estão gastando em média de 1 a 3 minutos para completar o percurso.

Faixa reversível para ônibus Avenida João Dias


Para mais detalhes e informações sobre os ganhos proporcionados pelas faixas reversíveis na redução dos congestionamentos, acesse este link.

Ainda no site da CET, é possível ver as notícias sobre a inauguração da reversível de ônibus da Avenida João Dias e seus resultados positivos sobre o trânsito daquela região, através dos links:

· Operação Dá Licença para o Ônibus - CET testa faixa reversível exclusiva para ônibus na Ponte João Dias;

· Faixa Reversível para ônibus na Avenida João Dias dá ganho de 90% no tempo percorrido.

terça-feira, 16 de junho de 2015

Secretaria Municipal de Transportes inicia pesquisa inédita sobre a circulação de transporte de cargas na cidade


A Secretaria Municipal de Transportes, por meio da Companhia de Engenharia deTráfego (CET), iniciou hoje (16/06) a primeira Pesquisa de Origem e Destino de Cargas no Município de São Paulo. O objetivo é construir um banco de dados que permitirá conhecer a fundo a circulação de mercadorias na cidade e estabelecer políticas específicas para o setor. Por meio do estudo, o poder público e a iniciativa privada poderão adotar medidas que visam a redução dos custos da logística de transportes e os impactos atmosféricos dos gases causadores do efeito estufa.

O levantamento conta com apoio técnico da  Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e financiamento de US$ 2,1 milhões do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), que escolheu três cidades brasileiras – São Paulo, Belo Horizonte e Curitiba - para participar do Programa  Sustainable Transport And Air Quality (STAQ).

”Já estamos ampliando o programa de entrega noturna, vamos criar um departamento específico para políticas voltadas ao transporte de mercadorias, inclusive com a participação de representantes do setor, e agora estamos dando início à pesquisa OD de Cargas, que nos ajudará a compreender melhor a circulação de mercadorias na cidade”, declarou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

O secretário também destacou que o transporte de cargas é essencial e deve ser considerado serviço público para a cidade. A Secretaria Municipal de Transportes vem incorporando políticas para atuar com maior segurança e agilidade em três eixos: calçadas para pedestres, ciclovias e corredores e faixas exclusivas de ônibus. O quarto eixo das ações prevê a criação de políticas específicas para o setor de cargas.

Além de conhecer melhor a matriz de Origem e Destino do Transporte de cargas na cidade, a pesquisa poderá proporcionar maior racionalidade e eficiência na distribuição de mercadorias e no uso da infraestrutura viária da cidade.

A previsão é que os resultados da pesquisa inédita sejam divulgados em dezembro deste ano.


Faixa exclusiva para serviços

Durante o seminário de lançamento da Pesquisa OD de Cargas, o secretário Jilmar Tatto ressaltou que depois da criação das faixas exclusivas de ônibus, que vem possibilitando maior rapidez e conforto nos itinerários dos coletivos, a Secretaria estuda implantar a faixa exclusiva para veículos de serviços como transporte de mercadorias, táxis, motofrete e ambulâncias. “Não temos a decisão de criar já a faixa exclusiva, mas é uma tendência para a cidade de São Paulo. É o coletivo em detrimento do individual, democratizando o espaço público cada vez mais”, disse o secretário.


Fechamento do Minhocão e inauguração da ciclovia na Paulista

As equipes de Planejamento e Operações da CET vão aproveitar o fechamento do Elevado Costa e Silva (Minhocão) no próximo sábado, 20, para testar o impacto no viário no entorno da região.
A via elevada será fechada a partir das 15h do próximo sábado para atividades relacionadas à Virada Cultural. Técnicos da Companhia vão monitorar o comportamento das vias da região para analisar a viabilidade de fechamento do Minhocão aos sábados.
Outro grande evento esperado para este mês é a entrega da ciclovia da Av. Paulista que será realizada no último domingo de junho. A via será totalmente interditada nos dois sentidos entre 10h e 17h do próximo dia 28.
A decisão foi tomada a partir da necessidade de garantir a segurança daqueles que vão participar da inauguração, já que é esperada a circulação de um grande número de pessoas na via, sobretudo de ciclistas.
Durante o evento, agentes da CET irão monitorar o trânsito e orientar os motoristas que circularem pela região. Também serão realizadas atividades educativas para pedestres, ciclistas e motoristas.

Redução da velocidade nas marginais

A redução da velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros será adotada no mês de julho. A Secretaria Municipal de Transportes irá aproveitar o período de férias para implantar a medida que visa diminuir o número de acidentes nas duas vias.

Na pista expressa, a velocidade cairá de 90 para 70 km/h. Nos trechos das pistas central e lateral em que a máxima permitida é de 70 km/h, a velocidade irá para 60 km/h e onde a determinação é de 60 km/h, a máxima cairá para 50km /h.

A Secretaria Municipal de Transportes irá promover ações conjuntas com outros órgãos e secretarias a fim de evitar que moradores de rua e vendedores ambulantes, principais vítimas de acidentes fatais nas duas vias, permaneçam em locais de risco.

Secretaria de Transporte por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) dá início à primeira Pesquisa Destido de Origem de Carga de São Paulo

Secretaria de Transporte por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) dá início à primeira Pesquisa Destido de Origem de Carga de São Paulo


segunda-feira, 15 de junho de 2015

Programa de Proteção à Vida CET implanta redução de velocidade no Eixo Treze de Maio / Rui Barbosa / João Passalaqua


A ação visa aumentar a segurança para usuários e incentivar o melhor compartilhamento do espaço urbano
A Companhia de Engenharia de Tráfego implantou hoje (15/06) redução de velocidade no eixo formado pelas Ruas Treze de Maio, Rui Barbosa e João Passalaqua, onde será regulamentada a velocidade máxima de 50 km/h.
Atualmente, a velocidade permitida é de até 60 km/h. A medida está inserida no plano de redução de acidentes viários do “Programa de Proteção à Vida”. Com isso, pretende-se melhorar a segurança dos usuários mais vulneráveis do sistema viário, pedestres e ciclistas, buscando a convivência pacífica e a redução de acidentes e atropelamentos na área.

Alterações no Sistema Viário
  •  Regulamentação de velocidade máxima de 50 km/h no eixo formado pelas ruas Treze de Maio, Rui Barbosa e João Passalaqua, em um trecho de 2,2 Km de extensão, entre a Avenida Paulista e a Ligação Leste-Oeste.

A medida se faz necessária vista que a referida rua possui tráfego intenso e concentra grande volume de pedestres devido ao Corredor de Ônibus e ao comércio local. Desta forma, velocidades menores são necessárias para promover condições seguras e confortáveis de circulação a tais usuários, que ainda representam o maior número de vítimas no trânsito em São Paulo. De janeiro de 2013 a dezembro de 2014 aconteceram no referido trecho, 29 acidentes veiculares com vítimas e 12 atropelamentos, resultando em 46 pessoas feridas.

Para implantação da redução de velocidade neste trecho da Rua da Consolação serão utilizadas 40 novas placas de sinalização vertical de regulamentação e advertência, além de faixas de vinil nos principais acessos, alertando os motoristas quanto à mudança.

Recomendações ao público
  •  Respeite a sinalização;
  •  Dê preferência ao uso de transporte público (Metrô, Ônibus e Táxi);
  •  Se necessitar pedir informações, proceda de forma a não atrapalhar a fluidez do trânsito;
  •  Não estacione em locais proibidos, frente a guias rebaixadas, em canteiros centrais, em fila dupla ou onde haja canalizações com cones e cavaletes;
  •  Não embarque ou desembarque em fila dupla ou afastado da calçada.

A Engenharia de Campo da CET vai acompanhar o desempenho da nova medida e orientar o tráfego na região.
Fale com a CET - Ligue 1188. Atende 24 horas para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões.