sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O que é e para que serve uma faixa azul ao lado da ciclovia?

Ciclovia na Rua Madre Cabrini, com faixa azul pintada ao lado

Desde que foi oficialmente aberta há pouco mais de uma semana, em 18/11, a ciclovia de 700 metros na Rua Madre Cabrini, no bairro Vila Mariana, zona sul da Cidade, vem chamando a atenção e sendo assunto de grande repercussão na mídia em geral. O motivo de tanto destaque e discussões é uma polêmica faixa azul pintada bem ao lado da ciclovia que passa em frente à porta do Colégio Madre Cabrini, presente há 87 anos naquele bairro. Mas, o que é e para que serve essa sinalização diferenciada em azul no asfalto? Qual é seu propósito: ajuda ou atrapalha as condições de segurança para ciclistas, pedestres e motoristas que circulam ali diariamente?

Primeiro, a criação de uma ampla, e planejada, rede cicloviária é hoje uma das metas mais relevantes da atual gestão da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Transportes. Conforme anúncio feito em junho deste ano, o plano de governo é viabilizar 400 km de ciclovias até o final de 2015. Assim, de 7 de junho até 20 de novembro, já foram entregues 119,8 km dentro dessa meta. Antes dos novos ramais, São Paulo só possuía 63 km de pistas exclusivas para uso de bicicletas. A entrega do percurso de 700 metros pela Rua Madre Cabrini está, portanto, dentro do plano de mobilidade cicloviária da SMT/CET. Com menos de 1 km, este pequeno trecho dá continuidade à implantação do circuito maior, de 3,5 km ativados em 05/11 no eixo da Rua Vergueiro, Rua Domingos de Morais e Av. Jabaquara, que passa agora a dispor de 4,2 km no total, naquele corredor.

Como o tradicional colégio está situado em trecho que permite regulamentar parte do leito viário para ciclovia e, também, visando o  atendimento da escola, a CET priorizou os estudos no local de forma a implantar algo que garantisse uma faixa de rolamento para a operação de embarque/desembarque bem como um projeto-piloto, contemplando uma área para a espera dos alunos nessa operação, travessia de escolares com faixa de pedestre sinalizada ao longo da nova ciclovia, sem impacto ao trânsito de passagem e nem prejuízo no acesso aos imóveis lindeiros. Daí a iniciativa da faixa azul. Seu propósito é propiciar maior segurança, na medida em que se presta a minimizar o conflito entre pedestre e bicicleta.

folheto entregue aos pais
Leia na íntegra o folheto distribuido
aos pais dos alunos. 
O projeto-piloto da faixa azul considerou a necessidade do Colégio Madre Cabrini em razão de sua localização, demanda da operação de embarque/desembarque, impacto no trânsito do principal eixo Liberdade/Vergueiro/ Jabaquara, de modo a dar sequência na malha cicloviária paulistana sem prejudicar o tráfego de passagem, como mencionado. A área técnica da CET apresentou e explicou a ideia, previamente, à direção do colégio, elaborando um folheto de orientação aos pais para ser distribuído em formato de circular e, também, treinando os funcionários do estabelecimento de ensino particular para apoio no embarque/desembarque com as mudanças de como ficaria a nova área de estacionamento em frente à escola.

A sinalização de solo aplicada é utilizada tanto no Brasil quanto no exterior, para identificar a ordenação dos diferentes usuários e sua circulação. A cor vermelha é recomendada pelo Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito e serve para demarcação de ciclovias e ciclofaixas. Já a faixa de pedestres sobre a ciclovia indica a prioridade da travessia do pedestre, conforme estabelece o Artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Para percorrer esse trecho, ao contrário do que se imagina, o ciclista não é obrigado a desmontar da sua bicicleta nem tampouco a empurrá-la. Ele pode, sim, seguir pedalando, desde que o faça sempre com atenção e cuidado recomendáveis de ser dispensado aos mais vulneráveis, ou seja, os pedestres, responsabilizando-se assim pela incolumidade destes (Art. 29, inciso XII, § 2º do CTB).

A fim de ordenar e favorecer melhores condições de segurança viária, a CET destacou agentes orientando a operação de embarque/desembarque e, em breve, teremos o reforço de auxiliares de travessia com bandeiras para eliminar, de vez, a possibilidade de conflito entre ciclistas e estudantes.

Por último, a iniciativa da faixa azul não é um ineditismo no sistema viário municipal. A mesma área de segurança para pedestres existe na ciclovia construída sobre o passeio da Ponte da Casa Verde, disponível desde 4/11. A calçada lá possui 4 metros de largura e foi dividida em duas partes: metade para acomodar a ciclovia e a outra metade, para os pedestres nessa área azul. Outro lugar onde se adota o mesmo conceito é no Viaduto Pacaembu, em ambos os sentidos, do lado direito. No Viaduto Pacaembu, a área azul é segregada por prismas e balizadores, demarcada ao lado da faixa exclusiva de ônibus.

Cavalete com banner "Embarque e desembarque de alunos" de caráter educativo
Cavalete com banner de caráter educativo.
ciclista utilizando a ciclovia
A nova área para embarque e desembarque na Rua Madre Cabrini

Detalhe da nova sinalização horizontal da Ciclovia da Rua Madre Cabrini
Detalhe da nova sinalização horizontal
Ciclovia da Rua Madre Cabrini - detalhe para sinalização vertical de parada obrigatória, orientando o ciclista
Sinalização vertical de parada obrigatória, orientando o ciclista.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Novo trecho de ciclovia na Avenida Calim Eid, na Zona Leste, a partir desta quinta-feira (27)

A partir desta quinta-feira, (27), a cidade passa a contar com 186,9 km de vias destinadas aos ciclistas. Acaba de ser ativado um novo trecho de ciclovia na Avenida Calim Eid, Zona Leste.

O trecho com 4,1 km de extensão funcionará entre a Rua Benedito Otoni e Avenida São Miguel, e complementará o trecho já existente até o Viaduto Milton Leão/Rua Catende, somando 5,3 km e proporcionando acesso aos bairros de Artur Alvim, A E Carvalho, Jardim Nordeste, Burgo Paulista e Jardim Popular entre outros.

Do total de ciclovias existentes na cidade, desde junho deste ano já foram inaugurados 123,9 km.  Antes, São Paulo possuía 63 km. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha de 400 km até o fim de 2016.

O traçado será unidirecional em ambas as pistas da Avenida Calim Eid, junto ao canteiro central e no mesmo sentido do fluxo veicular. Neste trecho, haverá semáforos exclusivos para ciclistas junto aos cruzamentos da Calim Eid com as ruas dos Continentes e São Severo.

Ciclovia na Avenida Calim Eid

Não haverá alteração no sistema viário. A Ciclofaixa Operacional de Lazer, ativada aos domingos e feriados nacionais, no corredor Tiquatira-Av. Calim Eid-Av. Dom Helder Câmara-Av. Gov. Carvalho Pinto continuará sendo montada, normalmente.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Operação Dá Licença para o Ônibus – Implantação de faixa exclusiva na Rua Doutor Antônio Bento

Na segunda-feira (24/11) a Rua Doutor Antônio Bento, na Zona Sul, ganhou 720 metros de faixa exclusiva à direita para ônibus. A nova faixa funcionará no sentido Largo 13 de Maio, de segunda à sexta feira, das 6h00 às 9h00, no trecho entre a Rua Nove de Julho e a Avenida Mário Lopes Leão.

A ativação está inserida na Operação Dá Licença Para o Ônibus, cujo objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores. Com isto, busca-se a redução dos tempos de viagens com padrões de eficiência, conforto e segurança para os usuários do transporte público.

Com estes 720 metros desde 24/11, a malha viabilizada pela atual gestão chegará a 367,2 km de faixas exclusivas para ônibus na capital paulista.

Na Rua Doutor Antônio Bento (entre Rua Nove de Julho e a Avenida Mário Lopes Leão), trafegam 39 linhas de ônibus, realizando em média 547 mil viagens de passageiros por dia útil de operação. A frequência média das linhas mencionadas, no horário de pico, é de 213 ônibus/hora.

Alterações no sistema viário:
Após a implantação do novo trecho de faixa exclusiva, os demais veículos que circulam em direção ao Largo 13 de Maio deverão utilizar as duas faixas da esquerda existentes na Rua Doutor Antônio Bento.

Fiscalização:
A ativação da nova faixa exclusiva terá um período de adaptação, quando os agentes de trânsito vão orientar os motoristas para não invadirem o espaço nos horários definidos para a exclusividade dos ônibus. Nas semanais iniciais da operação, a fiscalização será intensificada na via. Independente disso, a orientação é para que todos os motoristas respeitem a faixa exclusiva desde o início da implantação da mesma.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Operação Fim de Ano na região da 25 de Março e Mercado Municipal

O objetivo é proporcionar condições de acessibilidade nessas regiões comerciais, mantendo a fluidez e segurança ao público e garantir condições de circulação no sistema viário principal da cidade, como as avenidas 23 de Maio, do Estado e Radial Leste.

O que muda na região nessa época?

De 22 de novembro a 24 de dezembro de 2014, de segunda-feira à sexta-feira, sempre das 10h00 às 18h00, e aos sábados e domingos, das 10h00 às 16h00.

• A Rua 25 de Março será interditada entre Rua Carlos de Souza Nazaré e Ladeira Porto Geral, bem como as seguintes transversais: Rua Afonso Kherlakian, Rua Lucrécia Leme e Ladeira da Constituição.
• Aos sábados, a Ladeira Porto Geral também estará interditada, sendo permitido apenas o acesso à Rua Varnhagem.
• A operação de carga e descarga de mercadorias deverá ocorrer fora do período de vigência do bloqueio.