sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Até outubro, 4.287 locais semaforizados foram revitalizados


A CET concluiu o balanço do trabalho de revitalização semafórica que vem sendo feito desde agosto passado na cidade de São Paulo: até outubro de 2014, 4.287 locais semaforizados foram reformados.

No mesmo período, também foram instalados 929 nobreaks, viabilizados através da licitação. Se somarmos esse quantitativo aos equipamentos instalados pela Eletropaulo e por pólos geradores de tráfego temos mais de mil nobreaks em funcionamento na cidade. Também foram instalados 555 controladores.

Números atualizados na primeira semana de novembro indicam a revitalização de 4.350 locais, e a instalação de 1.000 nobreaks e 614 controladores. O levantamento completo deste mês será finalizado em dezembro.

Até agosto de 2015, serão recuperados 4.800 locais na cidade. Hoje, há 6.081 pontos semaforizados na capital paulista.

A primeira fase da revitalização semafórica contempla a substituição do cabeamento do local, instalação/recuperação do sistema de proteção envolvendo o aterramento e instalação de dispositivos de proteção contra surtos e descargas atmosféricas.

Concluídos os trabalhos da primeira fase, os locais encontram-se aptos para prosseguimento do processo, que prevê a substituição de controladores (dispositivos tecnológicos que controlam os cruzamentos) instalação de no breaks (equipamento auxiliar ativado quando ocorre a oscilação ou falta de energia elétrica) e instalação de módulos de comunicação (gprs - conexão dos locais semafóricos com a Central de Manutenção Semafórica).

Integrando o processo de revitalização, a Central de Manutenção Semafórica permite o acompanhamento em tempo real do estado operacional dos locais revitalizados, possibilitando o acionamento imediato de turma de manutenção em casos de ocorrências e, ainda, a recuperação do estado operacional do semáforo de forma remota.

Novos trechos de ciclovia nos bairros do Rio Bonito e Mirandópolis, zona sul da cidade


A partir desta sexta-feira, 14/11, a cidade passa a contar com 176,4 km de vias destinadas aos ciclistas. A CET entrega dois novos trechos de ciclovia aos moradores dos bairros do Rio Bonito e de Mirandópolis, Zona Sul da cidade, que somam 900 metros.

O primeiro trecho com 700 metros de extensão estará disponível no Rio Bonito formado pelas avenidas Aurélia Lopes Takano e Pedro Roschel Gottzfrit, o percurso será unidirecional, ao lado do canteiro central e futuramente fará a ligação com a ciclovia de Interlagos.
Avenida Aurélia Lopes Takano, entre a Avenida Senador Teotônio Vilela e a Rua Doutor Paulo de Barros Whitaker.
Avenida Pedro Roschel Gottzfritt, entre a Rua Doutor Paulo de Barros Whitaker e a Avenida Rubens Montanaro de Borba.

O segundo trecho com 200 metros de extensão na Rua Guapiaçu, em Mirandópolis, terá percurso bidirecional, e futuramente fará a integração com a ciclovia do Jabaquara, através das ruas Leandro Dupré e Estado de Israel.
Rua Guapiaçu, entre a Rua Leandro Dupré e a Avenida José Maria Whitaker.

Ciclovia Rua Guapiaçu

Ciclovia Avenidas Aurélia Lopes Takano e Pedro Roschel Gottzfrit


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

CET implanta 2ª fase da Área 40 Moema

Logotipo Área 40
A ação visa aumentar a segurança para usuários e incentivar o melhor compartilhamento do espaço urbano. Moema foi a quarta região da cidade a receber esta operação, que já vigora na Região Central, na Lapa, em Santana. Agora recebe a segunda fase do programa.

A CET irá implantar na segunda-feira (17/11) a 2ª fase da Área 40 em vias de Moema. A Área 40 é uma Área de Velocidade Reduzida onde será regulamentada a velocidade máxima de 40 km/h. A medida busca melhorar a segurança dos usuários mais vulneráveis do sistema viário, pedestres e ciclistas, buscando a convivência pacífica e a redução de acidentes e atropelamentos na área.

Contando a 2ª fase de Moema, a cidade passa a dispor de 7,0 km² de Área de Velocidade Reduzida.

Apesar da redução de cerca de 5% no número de mortes de pedestres alcançada na cidade de São Paulo (de 540 em 2012, para 515 em 2013), as ações em defesa da vida precisam e vão ser intensificadas em busca de números cada vez menores.

A região de Moema concentra grande volume de pedestres, além de ciclovias, rotas de bicicletas e um
Corredor de Ônibus, sendo necessárias velocidades menores para promover condições seguras e confortáveis de circulação aos usuários. A área onde ocorrerá a intervenção tem cerca de 1,7 km² e é geometricamente inversa a da 1ª fase, sendo delimitada agora pelas avenidas dos Bandeirantes, Ibirapuera, Santo Amaro, Hélio Pellegrino e República do Líbano.

Para implantação da 2ª fase da Área de Velocidade Reduzida em Moema serão utilizadas 210 placas de sinalização vertical de regulamentação e advertência, além de 96 m² de sinalização horizontal em vias afetadas pela mudança. Antecipadamente serão instaladas 47 faixas de vinil, alertando sobre as alterações.

Mapa da 2ª fase da Área 40 na região de Moema

Clique aqui para saber mais sobre a Área 40.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Avenida Calim Eid, na Zona Leste, ganha ciclovia a partir desta quarta-feira (12)

A partir desta quarta-feira, (12), a cidade passa a contar com 175,5 km de vias destinadas aos ciclistas. A CET entrega um novo trecho de ciclovia com 1,2 km de extensão na região de Artur Alvim, Zona Leste da cidade, na Avenida Calim Eid. O trecho estará disponível entre o Viaduto Milton Leão/Rua Catende e a Rua Benedito Otoni, proporcionando acesso aos bairros de Artur Alvim e A E Carvalho e futuramente fará a ligação com região de Vila Ré e São Miguel Paulista, além da Marginal Tietê e Rodovia Ayrton Senna.

O traçado é unidirecional em ambas as pistas da Avenida Calim Eid, junto ao canteiro central e no mesmo sentido do fluxo veicular. Neste primeiro trecho, haverá semáforos exclusivos para ciclistas junto aos cruzamentos da Calim Eid com as ruas Carlos Maria Steimberg e Benedito Otoni.

Do total de ciclovias existentes na cidade, a atual gestão inaugurou 112,5 km desde junho deste ano. Antes, São Paulo só possuía 63 km. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha de 400 km até o fim de 2015.

Ciclovia Avenida Calim Eid

Não haverá alteração no sistema viário. A Ciclofaixa Operacional de Lazer, ativada aos domingos e feriados nacionais, no corredor Tiquatira-Av. Calim Eid-Av. Dom Helder Câmara-Av. Gov. Carvalho Pinto continuará sendo montada, normalmente.


terça-feira, 11 de novembro de 2014

Especialista em mobilidade Jon Orcutt e as ciclovias de São Paulo

Logotipo CicloviaSP

Secretário Jilmar Tatto e especialista em mobilidade Jon Orcutt trocaram experiências sobre o desenvolvimento de malha cicloviária, em encontro que aconteceu na última sexta-feira (7).

De acordo com o especialista norte-americano o governo Haddad acerta ao investir no projeto de ciclovias. Na avaliação do secretário, a troca de experiências será essencial para o aperfeiçoamento das políticas de mobilidade na cidade.

Ao final da reunião, foi apresentado aos presentes as linhas gerais da Oficina de Articulação Regional CicloviaSP, que ocorrerá entre os dias 10 e 13 de novembro, numa parceria entre a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP).
Participam operadores de trânsito, técnicos de departamentos, gerentes e superintendentes de planejamento da CET, além de representantes de Subprefeituras, que discutirão ações conjuntas para a construção de um ambiente atrativo para o uso da bicicleta na cidade São Paulo.
Clique aqui para ler a reportagem completa

Oficina de Articulação Regional CicloviaSP
Jon Orcutt destacou valor social das ciclovias na abertura da Oficina de Articulação Regional CicloviaSP que ocorreu no dia 10/11. Para o especialista, o investimento nas ciclovias vai transformar a vida das pessoas nas grandes cidades, como São Paulo e Nova Iorque. Técnicos da CET e Subprefeituras trocaram experiências positivas para aperfeiçoamento da malha cicloviária

As oficinas de Articulação Regional CicloviaSP também serão realizadas nas Subprefeituras de Santana (11/11), Vila Mariana (12/11) e Lapa (13/11), das 9h00 às 17h30.

Clique aqui para saber mais sobre o evento.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Operação Frente Segura - CET implanta três bolsões de espera para motos e bicicletas na Av. Brigadeiro Faria Lima

Sinalização Frente Segura
Medida visa tornar espera pela abertura do semáforo mais segura para os condutores dos veículos sobre duas rodas.
Para melhorar a segurança de motociclistas e ciclistas, a CET vem implantando uma sinalização horizontal que delimita uma área exclusiva de espera para motos e bicicletas. Esta iniciativa faz parte da chamada Operação Frente Segura, lançada em abril de 2013 para criar uma área de acomodação mais segura para os veículos sobre duas rodas, ao pararem para aguardar a abertura do semáforo. Com estas implantações a cidade passará a contar com 159 bolsões na cidade.

A partir desta segunda-feira (10/11) serão ativados três novos bolsões em cruzamentos da Avenida Brigadeiro Faria Lima:

· Av. Brig. Faria Lima com Av. Horácio Lafer
· Av. Brig. Faria Lima com Rua Leopoldo Couto de Magalhães Junior
· Av. Brig. Faria Lima com Av. Pres. Juscelino Kubitschek

Além da sinalização de solo característica (pictogramas de bicicleta e motocicleta pintados no asfalto), a caixa de acomodação - que está situada entre a faixa de pedestres e os automóveis parados no vermelho do semáforo veicular - tem sua sinalização reforçada com placa educativa, evidenciando que ali é um espaço para a espera de motos e bicicletas. Serão implantados 201 m² de sinalização horizontal e 10 placas.

Os pedestres, ciclistas e os motociclistas são os agentes de trânsito mais vulneráveis a acidentes quando o assunto é Segurança Viária. Em 2012, das 1.231 pessoas que perderam a vida vítimas de ocorrências fatais no sistema viário, 540 (43,8%) eram pedestres, 438 (35,5%) conduziam motocicleta e 52 (4,2%) estavam pedalando.

Os locais para implantação da Frente Segura são escolhidos, basicamente, em função do volume considerável de motocicletas e bicicletas que passam pelas vias e conflito veicular, incluindo-se aí o critério da Segurança Viária.

A iniciativa da Frente Segura tem como objetivos:

  • Proporcionar maior segurança para as motocicletas e ciclistas, diminuindo o conflito com autos no momento da largada no verde do semáforo;
  • Aumentar o respeito das motos à linha de retenção e à faixa de travessia;
  • Dar maior visibilidade às motos junto às travessias de pedestres;
  • Diminuir o número de acidentes envolvendo motos, ciclistas e pedestres no cruzamento.

A primeira caixa de acomodação foi implantada na extremidade do Viaduto do Chá, no cruzamento com a Rua Xavier de Toledo, no final do mês de abril de 2013. Vale lembrar que essa sinalização, que ainda é novidade no trânsito paulistano, já vem sendo usada com êxito em cidades espanholas como Barcelona e Madri. Em Barcelona, foi testada em três cruzamentos em 2009 e, posteriormente, expandida para outros locais, atingindo atualmente 60 (sessenta) cruzamentos sinalizados. A autoridade de trânsito de Barcelona, onde as motos são 29% da frota de veículos, avalia que a área de espera exclusiva para motos diminuiu em 90% o risco de acidentes com motos nos cruzamentos daquela metrópole.

Clique aqui para mais informações sobre a operação Frente Segura.

Trecho Jangadeiro da Ciclovia de Interlagos

Novo percurso de 1,3 km totalizará 174,3 km de ciclovias na cidade.

A CET entregou um novo trecho de ciclovia com 1,3 km nas imediações do Autódromo de Interlagos, Zona Sul da capital. O trajeto vai integrar, em breve, o circuito já existente entre a Praça Enzo Ferrari e a Avenida Atlântica e proporcionará rota de ligação com a Represa do Guarapiranga e a estação da CPTM na região.

O novo percurso será unidirecional, junto ao canteiro central da Avenida do Jangadeiro, e bidirecional, ao lado do passeio das ruas Justino Nigro e Plínio Schimdt. Na demarcação estão sendo usados, aproximadamente, 3.500 m² de sinalização horizontal, 36 placas de trânsito indicando "Circulação exclusiva de bicicletas" e de regulamentação e advertência. A ciclovia segue o seguinte trajeto:

- Avenida dos Jangadeiros, entre a Avenida Senador Teotônio Vilela e a Rua Justino Nigro - canteiro central;
- Rua Justino Nigro, entre Avenida do Jangadeiro e a Rua Plínio Schimdt - lado direito;
- Rua Plínio Schimdt, entre as ruas Justino Nigro e João Batista Cataldo - lado esquerdo.

Ciclovia Avenida do Jangadeiro e Ruas Justino Nigro e Plínio Schimdt